Uma espécie de reposiçao (a boa maneira da tv portuguesa)

 Viva, como nao me apetece escrever nada de momento (nao é bem nao apetecer nao há é nada de novo que valha a pena escrever), deixo-vos com um post que foi escrito no dia 3 de Abril de 2008 e que continua muito actual e visto que muitos de voces ainda nao conheciam o estaminé, nao devem ter lido este texto que já é tao antigo que ainda é do tempo em que o Hemiciclo ostentava o belo e lindo nome de Tudo o que queria saber sobre electrodom&eacu Viva, como nao me apetece escrever nada de momento (nao é bem nao apetecer nao há é nada de novo que valha a pena escrever), deixo-vos com um post que foi escrito no dia 3 de Abril de 2008 e que continua muito actual e visto que muitos de voces ainda nao conheciam o estaminé, nao devem ter lido este texto que já é tao antigo que ainda é do tempo em que o Hemiciclo ostentava o belo e lindo nome de Tudo o que queria saber sobre electrodomésticos, Freud, parvoíces e seus parente(se)s. Enjoy:   Conversa entre pai e filho O tema da violencia nas escolas tem sido nas últimas semanas, debatido até a náusea. Já cheira mal o raio do tema. Vamos debate-lo mais um pouco? Até ficar com aquele inconfundível aroma a náusea fresquinha? Vamos? Ok. Fala-se que os meninos tem problemas em casa, que os pais nao lhes dao uma boa educaçao, que nao lhes impoem limites, que isto e aquilo e mais o camandro e que depois descarregam a sua fúria na sala de aula, de preferencia num dos olhos do professor, ou nas costelas. Mentira pura. Excepto, claro está na parte de partir costelas e esmurrar olhos, aí é bem verdade e ainda se podia incluir mais “miminhos” na lista. O “Tudo o que queria saber sobre electrodomésticos, Freud, parvoíces e parente(se)s”, tem na sua posse uma conversa entre um pai e um filho, que vai provar exactamente onde eu quero chegar. Um grande momento de jornalismo, só ao alcance dos mais prestigiados meios de informaçao internacionais, que para quem nao sabe sao o 24 Horas, O Diabo, O Crime, O Tal & Qual e o Telejornal da TVI. Entao cá vai: Filho: Paizinho, tenho andado aqui a pensar numa coisa… Pai: Diz filhote, o que se passa nessa tua pequena e por vezes confusa cabeçita? Conta ao paizinho, que pode ser que te possa ajudar! Filho: Está bem pai. Sabes, eu estava a planear com uns amigos meus da escola, o Carlinhos e Miguel, aqueles que cá costumam vir a casa ver o Wrestling comigo, em agredir de forma muito gira a nossa professora de Estudo do Meio, mas como só somos tres e temos todos só oito anos nao sabemos muito bem o que fazer. Será que me podias ajudar? Pai: Hummm… filho…sabes…isso de agredir uma professora…pois…como é que o pai te há-de dizer isto…É UMA IDEIA DO CATANO!!! Ah, puto!! Ve-se logo que és meu filho pá!! E já pensaram no que hao-de usar para bater no raio da velha? Filho: Pois pai, eu estava a pensar em pedir o taco de basebol que tu tens na mala do carro, aquele que usas para dar porrada nas pessoas com quem te irritas no trânsito, e também a faca de mato, modelo “Rambo” que tens ao pé do taco, para quando eles começam a estrebuchar muito… Pai: Claro que te empresto filho! Nem sabes o quao orgulhoso me deixas! Já nao me sentia assim desde que fizeste xixi em pé pela primeira vez!! Filho: E paizinho? Estás a ver também a pistola de calibre 9 mm que tens no porta-luvas para quando os tipos no trânsito te chateiam mesmo a sério e tu tens que lhes dar um balázio nos cornos, estás? Pai: Sim, diz. Filho: Podias-ma emprestar também?  Pai: Claro que sim, filhote. Mas primeiro o pai tem que te ensinar a disparar, está bem? Era uma irresponsabilidade da minha parte deixar-te levar a pistola para a escola para fuzilares a tua professora sem saberes disparar. Ainda podia acontecer algum acidente, como falhares o tiro, entendes filhote? Filho: Claro paizinho, eu entendo. Pai: Muito bem. Filho: E podias-me ensinar o que eu devo fazer para que a professora fique mesmo aleijadinha? Pai: Com todo o gosto! Entao olha: primeiro, voces os tres poem-se de volta da velha, um de voces dá-lhe com o taco de basebol nos joelhos, para lhe partirem as rótulas muito bem partidinhas, para que ela nao possa fugir. Depois espetam-lhe uma facada aqui e ali, só para que a sacana saiba quem é que manda. E no fim, se ela estiver a relinchar muito, manda-lhe um tiro que é para a gaja se calar. Percebeste, campeao? Filho: Sim pai! Percebi tudo! Boa! Pai: Ah, se tiverem alguma dúvida ou se nao forem capazes de fazer alguma coisa, ligas ao pai que eu vou lá ajudar-te, está bem filho? Filho: Está pai! Obrigado!! És o melhor pai do mundo!!! Uma conversa absolutamente ternurenta e muito cúmplice entre um pai e um filho. Fiquei estarrecido. E ainda há quem diga que os pais nao acompanham os miúdos e nem os educam. Um pai que até vai ensinar o filho a disparar, que se dispoe a ajudá-lo no que for preciso… enfim, um pai muito extremoso.  

Deja un comentario

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

Crea tu página web en WordPress.com
Empieza ahora
A %d blogueros les gusta esto: