Enquanto penso em temas, factos e assuntos deixo-vos com um dos meus tesourinhos mais antigos, de 19 de Outubro de 2007: Sexo virtual e outros tipos de forrobodós a distância, onde nao se toca na “chicha”

Ora viva, hoje brindo-vos com um pequeno texto sobre sexo virtual, ou cibernético ou telefónico, enfim, todos os tipos de sexo que nao passem por tocar na “chicha”. E porque é que eu me lembro de escrever sobre tal coisa, perguntam voces. Vá! Perguntem lá! Senao obrigo-vos a ouvir a discografia completa do Nelson Ned… agora está nas vossas maos perguntar, sem pressoes…mas com a discografia comOra viva, hoje brindo-vos com um pequeno texto sobre sexo virtual, ou cibernético ou telefónico, enfim, todos os tipos de sexo que nao passem por tocar na “chicha”. E porque é que eu me lembro de escrever sobre tal coisa, perguntam voces. Vá! Perguntem lá! Senao obrigo-vos a ouvir a discografia completa do Nelson Ned… agora está nas vossas maos perguntar, sem pressoes…mas com a discografia completa do Nelson Ned. Porque, porque? Porque sim. E porque ontem a noite, durante um período de insónia lembrei-me que era capaz de ser giro um texto sobre o sexo virtual, “a distância”, só por isso. Deviam estar a espera que dissesse que após um longo e intenso raciocínio acerca do pensamento cartesiano me desse para escrever sobre sexo virtual, nao? Toda a gente sabe que com longos e intensos raciocínios acerca do pensamento cartesiano só se pode escrever sobre indivíduos que tenham uma forma ligeira de coxear…quem nao sabe isto, é porque é parvo, isto faz parte do conhecimento geral, do senso comum. Isto e a pergunta sobre o que aconteceu a Maddie, mas essa questao deixo-a para outro dia, com a ajuda de uma mente especializada na matéria Maddie, uma dona de casa que veja os programas da manha e da tarde da TVI. Mas voltemos ao que interessa: o sexo virtual. Há tempos (cerca de 5 meses, princípios de Junho), recebi um convite na minha página do Hi5 de uma moça, para fazer sexo virtual com ela, resolvi averiguar a ver se era um site a fazer publicidade ou se era mesmo uma moça a querer fazer sexo virtual comigo. Para meu espanto, era a segunda hipótese. Respondi-lhe de forma muito educada: “Nao, obrigado. Gosto de sexo, sexo é bom, mas é ao vivo. Mas obrigado por se ter lembrado de mim para tal forrobodó virtual”. Daqui, acho que há duas coisas a reter: a primeira é que a moça ou era parva ou cega, porque no meio de tanto exemplar do sexo masculino foi-me escolher a mim. O outro aspecto importante a reter é que talvez fosse só parva, ou isso ou que nunca experimentou sexo “físico”… E ontem a noite, lembrei-me disto e pus-me a pensar cá para mim: “Joao, Joao, como é que será que as pessoas comentam as suas experiencias sexuais virtuais umas com as outras?”, e após vários raciocínios (mentira, nem raciocinei nada, mas fica bem dizer que sim) cheguei a uma conclusao (o que também é mentira, porque eu estou a escrever de improviso, nao volto atrás para mudar nada, é como fica,é como vai), entao cá vai. Imaginemos um grupo de amigos que é fa de sexo virtual (via net) a falar sobre as suas experiencias uns com os outros… é mais ou menos isto: É pá! Ó pessoal! Ontem a noite, tive uma relaçao de sexo virtual, bem! Nem vao acreditar! Foi o melhor sexo virtual que alguma vez tive! Bem! Ela tinha uma ligaçao de 24 Mb, foi sempre a abrir! E a web cam dela? Ui!Ui! que web cam mais jeitosinha! Até dá vontade de agarrar! Tem cá uma qualidade de imagem! Espectáculo! E o micro? Tinha um micro novinho em folha, sem ruído nenhum! Até se ouvia os pássaros na rua a piar! Espectáculo! Mas aquela web cam…é que deu cabo de mim… Bom, deve ser algo deste género, suponho…e se a situaçao se passar com sexo por telefone?  Deve ser algo deste género: Ontem a noite, tive uma relaçao de sexo por telefone para esquecer, pá! Entao porque?(perguntam os seus compinchas) Fiz sexo com uma de rede fixa, pá! Entao mas tu foste-te meter com uma tipa de rede fixa, pá! (ripostam os amigos, com ar de espanto) Mas tu és doido, ou que?? E olha lá! Preveniste-te ao menos? Usaste a Happy Hour? Ou nem isso?! É pá nao…(responde envergonhado o garanhao telefónico…) Entao tás lixado, pá!! (atiram os seus compinchas). Outra situaçao possível: Um amigo para o outro, olha lá, qual é que tu preferes? Nokia ou Motorolla? E o outro: Entao isso pergunta-se!! É claro que prefiro Nokia!! Pois com certeza! Olha tem uma bateria óptima para o sexo tântrico via telefone, o som estéreo dos novos modelos é uma maravilha! É pá! parece que estás lá! Só estando na situaçao é que percebes, mas tu nao…queres é Motorollas, nem sabes tu o que é bom! O que é chicha a séria (neste momento tenho que interromper a fala deste amigo pare lhe dizer que ao que parece ele também nao sabe o que é chicha a séria…), quando experimentares com uma Nokia, logo ves do que te falo! E suponho que sejam assim os relatos desses autenticos forrobodós, desse festim sexual que deve ser praticar sexo virtual. Por mim, vou continuar a preferir ao “vivo e a cores”, assim nao corro o risco de ter uma falha de bateria ou de rede…

Deja un comentario

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s

Crea tu página web en WordPress.com
Empieza ahora
A %d blogueros les gusta esto: